segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Resumo do livro "O preço da liberdade"

      Lu Si-yan levava uma boa vida com sua família (seu pai, sua mãe e seu irmão, Lu Li-hu) , alegre mas sem muitos luxos devido ao fato de não terem muito dinheiro. Periodicamente, a família recebia em sua casa o tio de Si-yan, Tio Ba. Este não gostava muito dela, a tratava como um objeto, dizia que ela era um fardo para a família por ser mulher; era um homem arrogante que tinha passado a infância ajudando sua mãe a cuidar de seus irmãos, após a morte do pai deles.
     O pai da menina era como um Sol para a família, uma pessoa muito alegre, que, segundo a mãe da menina, era a alma mais feliz do mundo. Brincava com Si-yan de diversas coisas: xadrez, wei-qi, mahjong, colocava a menina em um riquixá e pedalava,etc. Ele acreditava que se você tem o bastante, então é rico de verdade. Trabalhava duro cultivando hortaliças mas não no domingo, quando preparava as refeiçoes da família.
     Porém um dia o pai da menina morreu. Si-yan tinha nove anos quando o incidente aconteceu. Tio Ba contou a eles que ele havia sido atropelado por um táxi.
     Tio Ba ficou a cargo de ajudar a família. Eles ficaram firme, conseguiram dinheiro, colocaram uma lona sobre a casa quando o telhado caiu por causa da chuva, venderam hortaliças, brincaram com Li-hu, etc.
     Mas um dia, a mãe de Si- yan adoeceu e teve de tomar uma dura decisão. Após uma conversa com Ba, a mãe decidiu deixá-lo vender a menina como escrava.
     Num dia, quando Lu Si-yan tinha 11 anos, Tio Ba chegou na casa da menina dizendo que tinham que ir ao mercado. Começou a arrastá-la até um ônibus. Si-yan perguntava muitas coisas mas não obtia resposta.
     No mercado foi vendida para o senhor Chen que já foi dizendo que a menina teria de trabalhar para a esposa dele e, que futuramente, casaria com seu filho Yimou.
     A casa do sr. e da sra. Chen era muito bonita e luxuosa. No primeiro dia de trabalho a sra. Chen pareceu legal ao mostrar o quarto de Si-yan, levá-la para comprar roupas e cortar o cabelo, mas com o tempo, foi revelando sua verdadeira identidade.
     Na casa dos Chen, Si-yan conheceu Xiong Fei, o cozinheiro da família. Era uma pessoa educada, em quem a menina podia confiar. No primeiro dia eles conversaram bastante sobre o trabalho, a sra. Chen, o sr. Chen,  a sra. Hong ( sogra da sra. Chen), etc. Si-yan descobriu que ele odiava seus patrões, que ia lá preparar as refeições, que a sra. Hong era muito simpática, etc.
     Um dia, Si-yan resolve olhar a paisagem da janela de seu quarto. Vê vários prédios e também um rio que, para ela, passou a significar esperança, enquanto ela pudesse vê-lo acreditaria que seria levada para casa através dele.
     Com o passar do tempo, Si-yan percebe que a sra. Hong não sabia da verdade sobre o trabalho da menina. Pensava que ela era orfã e que estava lá para aprender a realizar serviços domésticos. Também percebeu que Yimou era deficiente mental.
     Xiong Fei já estava com muita raiva do local e brigou com a sra. Chen. Foi despedido e em seu lugar foi colocado o sr. Tian. Este não se importava com a menina e não se esforçava para ajudá-la.
     Uma noite, a sra. Chen teve que sair de casa às pressas. Deixou Si-yan e a sra. Hong sozinhas. A sogra foi conversar com a menina e disse que já tinha descoberto tudo e que a menina tinha que ir embora. Então ela lhe dá um pouco de dinheiro e diz para ela pegar a balsa. Ela se encarregaria da mandar uma carta para a família da garota.
     Ela agradece e sai do edifício o mais rápido possível. Não conseguiu pegar a balsa naquele dia. Vai dormir em uma casa abandonada em ruínas.
     No outro dia, corre para pegar a balsa. Consegue, mas no meio do caminho percebe que seu dinheiro havia sumido, uns homens tinham roubado durante a noite. Uma mulher (sra. Wang), resolve pagar a balsa para a menina e  seu marido oferece trabalho em sua fábrica, prometendo que a menina conseguiria voltar para casa antes do Festival da Primavera (Ano-novo chinês).
     Era uma fábrica de brinquedos, onde a menina ficaria encarregada de costurar olhos em ursinhos. A menina percebe que aquilo era bem difícil mas faz seu melhor.Conhece Li-mei e algumas outras meninas que também trabalhavam lá.
     Quando a campainha toca ela se dirige ao refeitório. Percebe que a comida é dura e salgada mas come mesmo assim. À noite vai para o dormitório. Tem que esperar muito para poder lavar seu uniforme e ir dormir.
     O trabalho da menina não estava rendendo muito e, por isso, ela fica sem seu pagamento. Com o passar do tempo percebe que os seus chefes eram muito desonestos e nunca pagavam o prometido.
     Recebe o apoio de suas colegas de dormitório que se tornam boas amigas. Aos domingos elas tem o dia livre e podem ir à cidade. O primeiro domingo de Si-yan é bem legal. Após ajudar a arrumar o quarto, ela vai passear com suas amigas. Na cidade elas cantam, olham vitrines, tomam sorvete. Um rapaz, vendedor de sorvete, fica querendo sair com a garota, o que gera conflito futuramente devido ao fato desse ser namorado de sua colega de quarto Zheng Yi.
     Si-yan não consegue voltar para casa antes do festival da primavera. O sr. Wang anuncia que iria haver uma comemoração no local e que eles poderiam realizar apresentações. As garotas começam a ensaiar uma peça teatral.
     Logo Si-yan é transferida para uma fábrica em que eles montavam caminhõezinhos. Ela trabalharia de mensageira tendo que correr de um lado para o outro supervisionando a produção. O trabalho era cansativo.
     Um dia, a menina adoece, começa a tossir sangue e é levada para um hospital. Ao acordar, após alguns dias, Si-yan ouve uma voz muito estranha e calma. Era seu tio, Ba.
     Ele contou à garota que estava procurando por ela a muito tempo. Ao receber a carta da senhora Hong dizendo que ela voltaria para casa todos ficaram alegres. À medida que o tempo passava e Si-yan não chegava eles foram ficando muito preocupados. Tio Ba resolveu procurá-la.
     Disse que a mãe da menina tinha morrido e que ele queria se redimir levando-a para casa, para que ela, Li-hu e  ele pudessem morar juntos. Tinha percebido que a garota não era um fardo e iria colocá-la para estudar. Li-mei consegue o dinheiro que os Wang estavam devendo à menina e eles partem de balsa junto com Li-mei.
     Si-yan fica muito feliz ao perceber que um rio estava levando-a para casa...

   
   
   



3 comentários: